Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Carta Ao Pai Natal

 

Caro Pai Natalinho,

 

Este ano, com a crise que se sente em todos os lares por este país afora à beira mar plantado, quero apenas pedir-te uma coisinha… uma prenda singela… é mesmo coisa pouca… simples até.

 

Tenho sido uma menina boa e ajudado o próximo, dou muitas descascas benesses e muitos TPCs reforços positivos aos meus alunos. Só quero o bem deles.

 

Lavo os dentes depois das refeições, lavo as mãos depois de andar nos transportes públicos, ofereço lenços de papel ao ranhoso mais próximo e até rezo uma oração antes de ir para a cama.

 

Não roubei nenhum osso ao Pimentinha nem comi nenhum biscoito do Bóbi. Se desapareceram foi porque devem ter sido abduzidos por algum canídeo extraterrestre.

 

E agora vou fazer-te o meu pedido para a prendinha que eu mais queria neste Natal. Concordas que mereço, não concordas? Tenho-me portado bem, não tenho?

 

É que tem-se feito muita falta… esta está velha e a pedir substituição pois de tanto uso está completamente desgastada.

 

Aquilo que eu mais queria era…

 

UM NARIZ NOVO!!!

 

 

 

Tou farta de tanto espirrar…!

 

 

 

 

 

http://anossalojinhaonline.blogs.sapo.pt/

 

Smells Like... Something!

 

 

 

 

 

 

 

 

Não suporto o meu cheiro. Há dias, então, terríveis! E agora estou a atravessar uma fase dessas. Agudíssima! Argh!

 

 

Hei! Não é nada disso que estão a pensar…! Não é o meu odor corporal que não suporto. Até porque sou uma gaija muita perfumadinha e lavadinha. É o meu olfacto apuradíssimo, a minha capacidade “cheiratória”.

 

Ando numa fase de olfactitis terribilis aguda. Não sei se é dos nervos, se é do tempo, se é o meu cheiro a ficar AINDA mais apurado. Mas o que é facto é que ando cheia de náuseas, todos os cheiros me incomodam, e não há cheiro que escape aos outros que não venha ter com o meu nariz.

 

É altamente perturbador ter este faro apuradíssimo. Uma pessoa entra em qualquer lado e sente logo todos os odores que por ali existem, conseguindo identificar cada um deles, enquanto às outras pessoas passam ao lado.

 

Imaginem agora como é nos transportes públicos à hora de ponta… ah, pois é! Aquilo é um festival de odores… Ainda ontem eu estava a contar os segundos para chegar à minha paragem pois ia alguém perto de mim com um cheiro que me estava a provocar umas náuseas terríveis. Cheguei ao ponto de ter alucinações, de ver uma cena de vomituração ali no bus. Até já estava a imaginar a mulherzita que ia sentada à minha frente com uma camisola nova e todo o autocarro com uma nova decoração…

 

Já à hora de almoço gramei com o pivete da velha-da-camioneta (um dia destes dedico-lhe um post) e estava a ver que tinha de sair mais cedo do bus e ir o resto do caminho para o colégio a pé. Que cheiro a não sei quê…!

 

 

Heeelp! O que é que posso fazer para evitar isto? Alguém tem algum truque?! Já pensei em por uma mola no nariz mas é capaz de fazer doer um pouco...

 

 

 

Sinfonia Dominical

                               

Se ouvirem algo a ranger perto de vocês, não fujam. Não, não é nenhum fantasma, nem o Frankenstein ou o robocop, um cyborg ou o tinman com falta de óleo na latoaria.

 

E nem é nenhum maluco a querer praticar malajacking, peoplejacking ou gestos menos próprios na vossa retaguarda.

 

É apenas uma pobre Pessoinha com a rangideira habitual E não, ainda não me estou a desintegrar. Desiludam-se os fãs que queriam ficar com um pedacinho meu. Ainda não é desta que ganham uns trocos à minha conta no ebay ou no Miau.

 

Hoje tem sido um show. O meu irmão chia para um lado e eu, ranjo para o outro. Ele porque tomou a medicação para a asma mas continua a chiar e eu porque pareço uma “porta enferrujada” (como diz o N., vejam lá!) até levar com o spray anti-histamínico no meu nariz de princesa, epíteto recentemente atribuído ao meu apetrecho farejador).

 

O que as minhas fossas nasais querem, sei eu! Estão a precisar ser inundadas, afogadas e acariciadas até mais não com água do mar. Acabava-se logo com a poluição sonora proveniente do meu inside.

 

Agora até os olhos, fartinhos de ouvir tanta barulheira…! Tal não é a moenga, hein?!

 

P.S. 1) Há lá coisa melhor do que termos um cão a olhar para nós, embevecidamente, e a dar-nos beijinhos enquanto escrevemos um texto estendidas na cama?

2) E se for um cão de 30 kg deitado nas vossas costas a roer um brinquedo porque quer brincadeira?